Close

A chegada na Itália e as coincidências de arrepiar

Após toda a jornada até a documentação estar perfeita foram momentos intensos de altos e baixos. Mas o mês de março de 2019 se iniciava com o renascimento do meu pai e de certa forma o meu renascimento. E a partir daí eu precisava também dar continuidade ao meu sonho.

 

Era momento de contatar os comunes para ter certeza que eles aceitariam minha documentação. E eu não podia errar, tinha que escolher o local certo, qualquer erro naquele momento poderia destruir o meu sonho.

 

Paralelamente, comecei a contatar famílias que pudessem me hospedar como residente e com isso conseguir fazer o processo dentro de uma família “Veramente Italiana”. Oferecia conversação de inglês para os filhos em troca da residência e possibilidade de realizar meu processo de reconhecimento da cidadania Italiana.

 

Em abril, tinha encontrado uma família interessada e realizamos nossa conversa via conferência de vídeo e acertamos os detalhes. Detalhe, a família morava a dois passos do comune.

 

Enquanto aguardava a confirmação da família aproveitei para escrever ao Comune para saber se aceitariam o meu processo sem o óbito e eles foram muito solícitos. Esta é uma coisa que recomendo fazer sempre, pois com base na resposta do oficial, você já consegue ter mais ou menos uma ideia de como será sua jornada naquele Comune. 

Alguns dias depois a família me confirmou e no mesmo dia comprei minha passagem. Sim, em 27 de maio de 2019 chegaria em terras Italianas.

 

Tudo fluía muito bem e durante esse um mês de preparação, tudo que eu via tinham sinais Italianos, era bizarro, eram sinais de que estava no caminho certo. 

 

Eu sempre ligava para minha mãe para contar, mas a coincidência mais “pazzesca” como dizem os Italianos ainda estava por vir.

Alguns dias antes do meu voo recebo a notícia da Alitalia que tinha recebido um UPgrade e que ao invés da classe econômica a minha ida seria na classe business.

 

Muito chique, iria viajar em alto estilo, pelo menos para mim. Lembro que quando entrei no voo duas freiras que iriam como missionárias conversaram comigo praticamente o voo todo. Mais um sinal de que aquela jornada estava sendo abençoada.

Bem, chego em Roma e ao desembarcar tinha que esperar algumas horas antes de fazer minha conexão para Veneza. Sim, minha cidade seria nada mais nada menos que Veneza. Outro grande UPDATE na vida.

 

Do Taboão da Serra, Zona Sul, SP direto para Veneza, era realmente um sonho. Daqueles que eu sinceramente ainda nem tinha tido de tão longe da minha realidade.

controle_imigracao

Enfim, cheguei com 0 de Italiano e muito medo de passar na Imigração, mas não foi pouco medo não foi muito. Isso porque antes do processo se escuta tanta coisa dos oficiais de imigração que mandam voltar, e confesso que esta parte me deixava em pânico.

 

Depois de algumas horas perdida no gigantesco aeroporto de Roma e com pouco tempo para minha conexão decolar eu me toquei que já naquele momento deveria passar pela imigração e não só quando chegasse em Veneza.

 

Era chegado finalmente o momento de enfrentar a Imigração e depois daquelas horas de espera, já não tinha mais ninguém na fila. Era eu, Deus e o oficial. E lá fui eu, na força e na coragem. Ele me pediu o passaporte, onde iria ficar e se eu tinha passagem de volta.

Por sorte, tinha uma carta da família com cópia do documento deles e assinatura confirmando tudo. Além disso, minha passagem era para 3 meses após a data de entrada. Pronto ele finalmente tinha carimbado o meu passaporte. Cheguei a voltar para questioná-lo que o carimbo era um pouco apagado e não era possível ver a data. Ele na super má vontade disse que não faria outro e agradeci e sai bem de fininho sem nem olhar para trás. 

Na sala de espera para a conexão de Veneza aproveite para já pedir meu chip de celular para que eu pudesse ter um número local para incluir no meu requerimento da cidadania Italiana. Esse chip deveria ser expedido já na casa em que eu iria me hospedar.

 

Bem, era a chegada a hora do embarque e em alguns minutos depois eu desembarcava no aeroporto de Marco Polo. Numa tarde de chuva que me trariam tantas bençãos. Naquele momento encontrava no desembarque, a família que iria me acolher para um dos momentos mais importantes da minha vida. Meu retorno às origens e renascimento como cidadã italiana.

 

Lembro que as crianças eram super curiosas e queriam se comunicar de alguma forma comigo, eram 3: Vito, Maria e Lapo. Minha função era conversar com eles sempre em Inglês e promover atividades e jogos durante o verão. A família morava bem pertinho da praia e foram basicamente 3 meses todos os dias de praia e muito sol.

chip_telefono

Mas eu também tinha a grande responsabilidade de iniciar meu processo de reconhecimento. E eu não perdi tempo. No dia seguinte fui fazer minha declaração de presença na Questura. Detalhe, fui sozinha com o que devia dizer escrito em uma cartinha para não errar e deu certo.

 

O próximo passo era ir até o comune e JURO, o comune era praticamente dentro da casa onde eu morava. Da janela conseguia ver o edifício. Era muita emoção. No segundo dia eu fui até o Comune, mais uma vez sozinha e com tudo escrito para apresentar a documentação. Peguei minha senha e finalmente conheci o oficial que respondia meus emails.

O momento da entrega da documentação
no Comune Italiano

O oficial pediu para ficar com a minha pasta que avaliaria a documentação e que eu deveria voltar no dia seguinte para me dar mais orientações, e assim foi feito. Após este momento de tanta emoção, decidi que iria até uma igreja para rezar um pouco e agradecer tudo que estava acontecendo até ali.

 

Para minha ENORME surpresa o nome do Patrono da cidade era o mesmo nome do meu antenato Italiano. Naquele momento, eu desabei, chorei e agradeci por ter sido acolhida por um lugar especial e com tantas histórias que se conectavam e me faziam acreditar que tinha tomado a decisão certa.

 

No dia seguinte, voltei e ele deu a grande notícia que a documentação estava redondinha e que eu poderia solicitar o meu reconhecimento. Deveria no entanto fazer a declaração da minha residência, pagar uma marca da bollo de 16 euros e depois deixar a documentação oficialmente para entrada do processo.

 

Ele aproveitou para avisar também que naquela semana entraria de férias e que retornaria 30 dias depois. Eu gelei, porque seriam 30 dias em que meu processo estaria  parado. Depois pensei que tinha a espera do Vigile e me tranquilizei. No meu caso o Vigile foi mais rápido do que o esperado e em 6 dias passou para confirmar a minha residência.

A partir dai, iniciava a minha contagem regressiva para a volta das férias do oficial do comune. Dois dias após seu retorno eu estava lá para saber se ele tinha dado andamento no meu processo. Ele muito nervoso me disse que não e que tinha um “SACCO de lavoro” e que eu retornasse em 15 dias. A partir daí vocês podem imaginar meu nervoso. Eu tinha praticamente um mês e meio de espera e acabaria meu visto de 3 meses sem contar que ainda teria o período de resposta da NR, mais conhecida como Não-Renuncia que é emitida pelo Consulado de São Paulo.

A dificuldade de esperar todas as fases do processo

Obviamente que eu não esperei 15 dias, pois minha ansiedade não deixou e em 10 dias estava eu lá com a maior cara de dó fazendo um enorme drama para saber se ele tinha conseguido dar andamento. Naquele dia ele estava com uma “áurea boa” e me disse que enviaria o email solicitando a Não-Renuncia e que me avisaria por email. 

 

Foi então que mais um período de contagem e agora eu realmente não podia fazer nada além de esperar e rezar muito para que o Consulado não demorasse. Lembro que acompanhava diversos grupos de pessoas que esperavam apenas a confirmação da NR e ficava fazendo possíveis cálculos. Enfim, isso já era fim de julho. Tinha pouco mais de um mês para terminar meu visto de turista e eu em breve teria que pedir um permesso di soggiorno para poder esperar a decisão final. O jeito era realmente esperar.

 

Passou uma semana, no início de agosto e o desespero foi aumentando. Eu então decidi que iria começar a buscar informações de como aplicar para o permesso di soggiorno. Seria um investimento alto, pois seria praticamente o custo que eu teria para pagar o meu passaporte e carta de identidade etc. Decidi aplicar no final de agosto quando realmente finalizaria meu visto. E esperei.

O momento tão esperado a chegada da Não-Renuncia

Foi então que no dia 13 de agosto de 2019 recebi o email do oficial informando que ele tinha recebido a não renúncia e que já estava com a minha certidão italiana transcrita. Nossa aquele email chegou cedinho eu gritava, chorava, pulava de tanta alegria, pois a minha jornada tinha sido concluída e poderia sonhar com novos planos e seguir meu destino em paz.

 

Rapidamente me arrumei e fui ao Comune, fiz minhas fotos para os documentos, peguei minhas certidões dei entrada no pedido da minha Carta de identidade. Nem esperei chegar a identidade e como comprovante fui até a Questura solicitar meu passaporte.

 

A partir desse momento, tudo fluiu  muito rapidamente, em 3 dias a minha identidade estava pronta, e em 5 meu passaporte. Parecia tudo tão simples  mas com tanto significado.

 

A partir dali foi possível finalmente respirar tranquilo e sonhar com os próximos passos da minha vida na Itália pós Cidadania.